quarta-feira, 5 de novembro de 2008

quando ela fala (Machado de Assis)

Quando ela fala, parece
Que a voz da brisa se cala;
Talvez um anjo emudece
Quando ela fala.

Meu coração dolorido
As suas mágoas exala,
E volta ao gozo perdido
Quando ela fala.

Pudesse eu eternamente,
Ao lado dela, escutá-la,
Ouvir sua alma inocente
Quando ela fala.

Minha alma, já semimorta,
Conseguira ao céu alçá-la
Porque o céu abre uma porta
Quando ela fala.

4 comentários:

Danilo Thadeu disse...

Po Beto, tá tirando as irmandades??? hahaha

Aqui é o Ciro, The Outsider pros mais virtuais (e não necessariamente chegados)

Abraços!

ps: te adicionei no meu blog, dá uma olhada depois se puderes... teorialublin.blogspot.com

The Outsider disse...

Mal,
comentei sem querer com o login de um amigo meu hehe...

Agora sim.

Taricano disse...

Pois é José,

neste mundo mundo vasto mundo,
se eu me chamasse Raimundo, seria uma rima e não uma solução, por isso, reafirmo para mim mesmo, mundo mundo vasto mundo, como é vasto o meu, o seu coração.

Anônimo disse...

te amo,te amo, te amo,te amo,te amo, te amo,te amo...mas.... nesse mundo vasto vc vê a todos,mas nunca o essencial que é invisível aos olhos.

Related Posts with Thumbnails

Veja também